Artroplastia Total de Quadril

Prezados mestres, sifus, professores, alunos, amigos e colegas.

Agradeço imensamente todas as mensagens de apoio que recebi nos últimos dias em relação a minha saúde. Gostaria de aproveitar a oportunidade para esclarecer sobre o procedimento cirúrgico realizado no dia 12 de janeiro, em resposta as diversas perguntas sobre o assunto. A cirurgia realizada se chama ARTROPLASTIA TOTAL DE QUADRIL

Para entender o procedimento é importante falar um pouco sobre a anatomia e a biomecânica do corpo.

ANATOMIA DO QUADRIL

A articulação do quadril é formada por uma parte chamada de fêmur (que é o osso da coxa) e uma cavidade chamada de acetábulo, (que compõe o quadril). A junção destas estruturas permite uma grande estabilidade pois realiza os movimentos de flexão, extensão, abdução, adução e rotações lateral e medial da articulação do quadril e possui a importante função de suportar o peso do corpo. Não podemos deixar de falar sobre a cartilagem que recobre as estruturas desses ossos, pois impede o contato direto do osso e favorece o deslizamento entre as partes.

Patologia: ARTROSE OU OSTEOARTROSE

É a degeneração progressiva dos tecidos que compõem as articulações com instalação progressiva da dor, deformação e a limitação dos movimentos. Ocorre, portanto uma diminuição do espaço articular por causa da perda cartilaginosa na área de maior suporte de carga. Podemos ainda considerar a artrose como uma falência da estrutura articular, dirigida na maioria das vezes por fatores mecânicos.

Por que ocorre a DOR

Com o passar do tempo e do uso, a cartilagem sofre a deteriorização natural, os ossos do fêmur (cabeça do fêmur) e do quadril (acetábulo) passam a ter um contato direto – osso com osso, e como os ossos são inervados, desencadeiam um processo doloroso e aparece a dificuldade na realização dos movimentos do quadril. Essa diminuição no movimento é chamada de limitação de amplitude do movimento, a qual interfere na realização das atividades rotineiras (a dor possui caráter progressivo e com o tempo vai cada vez mais limitando os movimentos).

Sobre a  CIRURGIA

O principal fator a ser considerado é a dor, ou seja, a intensidade da dor, assim como outros fatores como os graus de limitações e condições gerais do paciente. A Artroplastia Total do Quadril está indicada nos casos de dor grave incapacitante, secundária à artrose, que não apresentou melhora com o tratamento clínico estabelecido. As próteses podem ser feitas de diferentes materiais: como metal, cerâmica, titânio, polietileno. No caso meu caso, foram utilizadas as de cerâmica, que são mais indicadas a esportistas e possuem maior durabilidade.

OS BENEFÍCIOS DA CIRURGIA

  • Alívio da dor, melhora do bem estar
  • Restabelecimento da amplitude de movimento
  • Retorno às atividades diárias. melhora da qualidade de vida.

As próteses podem ser:

  • CIMENTADAS: são utilizados cimentos ósseos ortopédicos (polimetilmetacrilato) para a fixação dos componentes da prótese.
  • NÃO CIMENTADAS: Esta utilizada no procedimento do Grão Mestre Li, onde os componentes da prótese são fixados diretamente na superfície óssea sem a utilização de cimento ortopédico.
  • PRÓTESE HÍBRIDA: o componente femoral é cimentado e o componente acetabular e fixado na superfície acetabular sem cimento.
  • ENDOPRÓTESES: neste caso é feita a substituição de grandes segmentos ósseos do fêmur (por exemplo, em caso de tumores).

 

CUIDADOS ANTES DA CIRURGIA

Como a medida que a degeneração se desenvolveu o seu organismo buscou mecanismos compensatórios para diminuir a dor, em virtude da limitação funcional dos movimentos, inicia‐se um processo de atrofia da musculatura (desuso devido a atividade anti‐álgica). Assim, antes da cirurgia, o Grão Mestre Li desenvolveu:

Fisioterapia: para fortalecimento e alongamento dos músculos e recebeu manobras manuais como a distração passiva da articulação do quadril. Visando ganho do espaço articular, fortalecimento dos músculos, promovendo à melhora da circulação do sangue nas pernas, ajudando a não formação de trombos e evitando uma complicação mais severa no pós cirúrgico, como embolia pulmonar.

Técnicas Chinesas:

  • Acupuntura para redução e controle da dor;
  • Artes Marciais: Tai Chi Chuan e Chi Kung Terapêutico para um bom controle mental e desempenho emocional que se reflete diretamente ao fisico. Sempre respeitando as suas limitações.

 

APÓS A CIRURGIA

  • Fisioterapia: Exercícios de alongamento (passivo e ativo) e fortalecimento (isométrico e isotônico) para uma boa aceitação das próteses colocadas e ganho de forca e amplitude de movimento.
  • Técnicas Chinesas: Acupuntura para redução e controle da dor e para evitar rubor e edema.

 

Agradecimentos especiais

A minha esposa Aparecida Li, meus filhos e meu neto por todo amor e cuidado

Ao Dr. Marcelo Takano – Cirurgião Ortopedista –  pela realização desta complexa cirurgia e toda orientação e acompanhamento pré e pós cirúrgico.

Aos Mestres Fisioterapeutas de minha filha: Luana De La Barra e Luciano Castelo – Ortopedia e Traumatologia, por todos os ensinamentos e experiencias transmitidos.

A Winne Li, minha filha acupunturista, fisioterapeuta e massagista, pelo zelo e dedicação.

A todos os meus familiares, discípulos, alunos, pacientes e amigos por se preocuparem e por estarem torcendo por minha breve recuperação.

Obrigado, muito obrigado a todos

 

GM LI