O Dao

O Dao (leia-se Tao) gera o um, o um gera o dois, o dois gera o três e o três gera as dez mil coisas. Todas as coisas têm sombra pelas costas e a luz pela frente e são harmonizadas pelo sopro imaterial (Lao Tzu: Tao Te Ching)

O Dao é a lei do funcionamento do universo. Isso quer dizer que do Tao deriva o um, que seria a existência. A partir da existência podem ser detectadas duas forças, o yin e o yang, que são opostas e complementares. A interação entre os dois, seja por meio do aumento ou da diminuição de algum deles, gera o Qi, que é a energia fundamental do universo. Dessa forma, o dois se torna três. Toda matéria é composta de partículas de energia, portanto, isso quer dizer que o qi existe sob diversas formas. Por isso ele é descrito como “sopro imaterial”. Segundo a filosofia antiga, o qi se manifesta em cinco aspectos diferentes, conhecidos também como os Cinco Elementos – Fogo, Terra, Metal, Água e Madeira. Cada elemento tem suas características próprias e, a partir disso, auxiliam de alguma forma no aspecto da criação das “coisas”. Ou seja, tudo na natureza, ou cada uma das “dez mil coisas”, é composto por uma mistura particular de yin e yang, a partir de uma combinação única dos cinco elementos, que formam o “qi verdadeiro” de cada objeto ou ser.