Kuo Shu / Wushu

As artes marciais chinesas, popularmente conhecidas no ocidente como “Kung Fu”, na verdade são conhecidas na China como Wushu / Kuo Shu. Entenda aqui como se dá o uso dessas expressões

Wushu é a palavra mandarim para “arte marcial”. 

Os primeiros relatos sobre Wushu (arte marcial chinesa) datam de 5.000 a.C. Acredita-se que durante as Dinastias Shang e Zhou, o Wushu serviu como treinamento para os soldados e também se tornou parte da educação física na formação dos estudantes nas escolas. Durante as Dinastias Tang e Sung muitas organizações civis surgiram e foram introduzidos os árbitros para avaliação. Regras simples para as competições já eram utilizadas nos combates e os vencedores eram agraciados com prêmios generosos. Mas foi durante as Dinastias Ming e Qing que o Wushu floresceu e apareceram várias escolas e diferentes estilos.

Em 1900, um grupo nacionalista lutou violentamente contra a intervenção estrangeira no território chinês. O conflito, conhecido como Guerra dos Boxers, teve um grande apoio da população, que atribuía aos estrangeiros a culpa pela situação de pobreza e desemprego que assolava o país. Entretanto as nações imperialistas (Inglaterra, França, Itália, Alemanha, Rússia, Japão e Estados Unidos) formaram uma tropa internacional numerosa e conseguiram conter o movimento dos boxers. Apesar da derrota, em razão do crescimento do sentimento nacionalista nesse período, os artistas marciais sentiram a necessidade de começar a se organizar. Em 1909, Huo Yuanjia fundou em Shangai a Jing Wu Athletic Association, um ambiente para ensino e aprendizado das artes marciais, o oposto da prática secreta e familiar de artes marciais, que era muito comum no passado.

Em 1912 ocorreu a queda da Dinastia Qing e teve início o regime republicano chinês (1912-1949). Esse período foi extremamente conturbado politicamente. O Partido Comunista Chinês e o Kuomintang viviam em constante confronto pelo poder do território chinês. Enquanto o primeiro assumiu o controle da China Continental, o segundo tratou de controlar a chamada “China Insular”. Com a guerra civil se alastrando em todo território chinês, tanto as artes marciais como o estilo de vida tradicional passou a ser reprimido. A Jing Wu teve suas atividades encerradas.

Em 1915, a Jing Wu foi reconstruída e reorganizada, constituindo um novo padrão de ensino. Vários mestres de diversos locais foram convidados a integrar a organização. Em 1918, Jing Wu abriu sua primeira filial em Hong Kong e disseminou-se na Ásia.

Em 1928, buscando resgatar as tradições e a cultura chinesa, três generais do Kuomitang – Chang Chi-Chiang, Li Cing-Lin e Fung Chu-Chiang – organizaram a primeira Competição Nacional de Artes Marciais, em Nanjing. A competição foi realizada em um Lei Tai (ringue) e as regras eram simples: não eram permitidos ataques aos olhos, à garganta e às partes íntimas (genitais). O torneio foi muito competitivo, resultando em muitas lesões e duas mortes.

No mesmo ano, o Governo Federal Chinês criou o Instituto Central de Guoshu. O propósito era promover as Artes Marciais Chinesas em nível nacional. Foram convidados alguns dos maiores mestres ainda vivos e os vencedores da competição de 1928 para criar um currículo padrão para ensino e disseminação das Artes Marciais Chinesas nas academias provinciais de Guoshu. O termo “Guoshu” (leia-se “Kuoshu“) foi criado para rotular as Artes Marciais Chinesas, como um símbolo de orgulho da população Chinesa. O termo em si vem da abreviação “Zhong Guo Wu Shu” que se traduz como “Arte marcial da nação chinesa”. O “Guo” se refere a “Nação” e o “Shu” se refere a “Técnica”. Nesse momento, ocorre a popularização dos estilos hoje praticados: bagua, garra de águia, cinco animais, xingyi, hung gar, macaco, louva-a-deus, garça branca, jow ga, wing chun, taijiquan e ca li fu.

Kuo shu é a palavra mandarim para “arte marcial da nação chinesa”. 

Em 1936, nove membros da equipe chinesa de kuo shu fizeram uma demonstração nos Jogos Olímpicos de Berlim. Desde então, autoridades chinesas e seguidores pleiteiam a inclusão do esporte no programa olímpico.

Em 1945, o Programa Nacional de Kuoshu foi descontinuado durante a II Guerra Mundial para que a China ficasse focada na disputa contra o Japão. O Instituto Central de Kuoshu mudou de local varias durante a guerra. Em 1946, o Instituto retornou para Nanjing, porém foi um ato praticamente simbólico já que a guerra deixou a organização sem atividades e ou recursos. Dois anos depois, em 1948, o instituto foi fechado.

Na década de 1950, foi criado o Ministério dos Esportes da China. Em 1953, com o intuito de unificar as artes marciais chinesas em um modelo esportivo, foi criado o “Wushu moderno”. As bases dessa arte marcial foram os estilos do Shaolin do Norte, Cha Quan, Hua Quan, Hong Quan, entre outros. O novo esporte não enfatizou o combate, mas sim o desenvolvimento atlético do praticante, sendo caracterizado pelos movimentos vigorosos e/ou acrobáticos, com ou sem a utilização de armas. Nesse momento, ele era considerado um esporte demonstrativo.

Ainda em 1953, Tianjin sediou uma Demonstração Nacional de Esportes Tradicionais. No mesmo ano, a modalidade entrou como curso formal nos institutos locais de esporte e departamentos de educação física. Em 1956, foi criada em Beijing a Associação Chinesa de Wushu, inserindo o esporte em competições oficiais. Foram criadas regras e formas para competição. A partir de 1978, passou a se organizar campeonatos anuais da modalidade. Além disso, começou a se pensar em inserir o Wushu moderno em nível internacional.

Na década de 1980, o Wushu moderno começou a ser praticado no Brasil. Em 1985, a China organizou o primeiro Campeonato Internacional de Wu Shu e dois anos depois foi realizado o primeiro curso internacional de arbitragem e de diretor técnico, na China. Em 1988, foi fundado o Comitê Internacional de Wu Shu.

Em 1990, foi fundada a Federação Internacional de Wu Shu com a participação de 38 países, incluindo o Brasil, que foi representado pelo Grão Mestre Li Wing Kay e o Dr. Enio Cuono. No mesmo ano, técnicas de Wushu moderno passaram a integrar o programa dos Jogos Olímpicos Asiáticos. O primeiro campeonato organizado pela Federação Internacional de Wu Shu ocorreu em 1991, em Beijing (China). Além das competições de Tao Lu, foi incluído o San Shou, um estilo de combate, no torneio. Depois disso, o campeonato passou a ser disputado num intervalo de dois anos em dois anos. Atualmente, a Federação Internacional de Wushu (FIW) possui 77 membros de cinco continentes, sendo inclusive uma instituição reconhecida oficialmente pelo Comitê Olímpico Internacional (COI).

Enquanto o Wushu moderno foi se desenvolvendo, o Kuo Shu também não parou e foi se aprimorando. Em 2002, foi fundada a The World Kuo Shu Federation (TWKSF). A instituição possui atualmente aproximadamente 70 membros, espalhados por 30 países nos cinco continentes. O Brasil é representado, desde 2006, pela Confederação Brasileira de Wushu Kuoshu Chinês (CBWKC), presidida pelo Grão Mestre Li Wing Kay.